Piauí

CRMV-PI diz que peste suína no Estado do Piauí é por descaso dos órgãos agropecuários

Segundo Conselho Veterinário a peste suína não traz riscos à saúde humana

Como se não bastasse as fortes chuvas que tem matado em Teresina, agora vem uma notícia do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Piauí (CRMV-PI) afirmando que o estado tem uma crise da peste suína, mas que ela não traz riscos a saúde humana, mas por outro lado, desencadeia uma seria crise financeira ao comércio de suinocultura, atingindo a economia do Estado e até do país.

Em nota divulgada nesta segunda-feira (08), o Conselho afirma apoiar os produtores de suínos do Estado e diz somar esforços junto a Agência de Defesa Agropecuária do Piauí (Adapi) e a Superintendência do Ministério da Agricultura no Piauí no combate ao foco de peste suína clássica detectada no município de Lagoa do Piauí.

(Foto: reprodução)

O CRMV chama a atenção para a importância dos serviços de sanidade animal que representa o tripé fundamental para a saúde humana. “ O momento é de união para que o combate à doença seja feito de forma eficaz, no entanto, não podemos deixar de refletir sobre o descaso que vem assolando os órgãos agropecuários no Piauí e no Brasil”, diz trecho da publicação.

A instituição divulgou a nota depois que o Departamento de Saúde Animal, do Ministério da Agricultura, em Brasília, confirmou um foco de peste suína clássica (PSC) no município de Lagoa do Piauí. O documento é assinado pelo diretor do próprio departamento, Geraldo Marcos de Moraes e por Márcia Leticia Parreira Mourão, com data de 05 de abril deste ano.

Diz o documento: “Comunicamos a confirmação, nesta data, de um foco de peste suína clássica (PSC) no Município de Lagoa do Piauí, Estado do Piauí, destacado na Figura abaixo, fora da zona livre de PSC no país. A investigação realizada pela Agência de Defesa Agropecuária do Piauí – ADAPI, como parte do sistema de vigilância das doenças hemorrágicas dos suínos, em uma propriedade de criação extensiva de 13 suínos, identificou a ocorrência de mortalidade de 7 leitões menores de três meses de idade e a presença de animais com sinais de fraqueza, febre alta e paresia de membros posteriores. Um animal foi eutanasiado para necropsia e colheita de amostras, cujos testes laboratoriais executados no Laboratório Federal de Defesa Agropecuária, em Minas Gerais, identificaram a presença de anticorpos pelo teste ELISA e a presença do agente da Peste Suína Clássica (PSC) pela detecção do ácido nucleico em prova de RT PCR em tempo real. Outras análises laboratoriais e investigações clínico-epidemiológicas estão em andamento na região, e medidas para eliminação do foco serão aplicadas. Destacamos que desde outubro de 2018, houve a confirmação de 44 focos PSC no Brasil, localizados no Estado do Ceará, também fora da zona livre de PSC no país.”

Confira a nota divulgada pelo CRMV:

 

Tags
Mostrar Mais

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Close
Pular para a barra de ferramentas