Geral

SEMEC implanta programa socioemocional nas escolas municipais de Teresina

O Programa é novidade no Brasil e condiz com o novo formato da Base Nacional Comum Curricular

Teresina dá mais um passo pela formação integral dos alunos da Rede Pública Municipal com a implantação do Programa Diálogos Socioemocionais, que trabalha o equilíbrio das emoções com as equipes escolares para beneficiar os jovens. A iniciativa é da Secretaria Municipal de Educação (SEMEC) em parceria com o Instituto Ayrton Senna e a 3GEN Gestão Estratégica.

O Programa é novidade no Brasil e condiz com o novo formato da Base Nacional Comum Curricular, que exige um planejamento eficaz para o desenvolvimento das habilidades socioemocionais dos alunos em consonância com as cognitivas. Na prática, os conteúdos de matemática ou de ciências serão mais significativos quando alinhados com exercícios de empatia, resiliência e solidariedade.

Roberto Campos, representante da empresa parceira que promove estratégias nessa área, explica que o primeiro passo é, de fato, preparar os professores para lidarem com as diversas situações vivenciadas nas escolas. “Estamos instrumentalizando as equipes com as ferramentas necessárias para lidar com uma geração extremamente conectada com a violência, as drogas e outras vulnerabilidades”, explica.

Na SEMEC quem está à frente da ação é Celina Lira, pedagoga e psicóloga disposta a apoiar as unidades de ensino na mudança de realidade. “Essa é a educação integral da qual tanto falamos. Os professores se conhecem melhor primeiro e aprendem a dialogar com jovens sobre emoções. Sabemos como a saúde mental faz diferença na qualidade de vida dos estudantes. Trabalhando a resiliência e a amabilidade, por exemplo, temos ganhos não só na trajetória acadêmica dos alunos, mas na qualidade de vida de toda a sociedade”, afirma Celina.

A Escola Municipal Mocambinho, na zona Norte, recebeu o projeto piloto do Programa Diálogos Socioemocionais no ano passado. A experiência positiva foi ampliada para todas as turmas do 6º ao 9º ano, capacitando os professores de todas as disciplinas.

O diretor Diógenes Meireles ressalta as transformações imediatas alcançadas pelo projeto. “Essa didática fez toda a diferença. O que começamos a executar de forma modesta agora vira estratégia planejada, com metas e atendendo mais alunos. Eles estão aprendendo a melhorar as relações sociais, assim zeramos o índice de roubo e de violência física na escola. Vamos trabalhar outros pontos, como violência verbal, situações de automutilação, desafios que atrapalham o processo cognitivo”, ressalta.

Segundo o secretário municipal Kleber Montezuma, as situações de conflito dentro e fora da escola acontecem pela falta dessa formação socioemocional. “A sociedade como um todo não sabe lidar com frustrações, precisamos preparar professores e alunos para o gerenciamento de emoções, assim seremos pessoas melhores”, afirma.

Montezuma conversou com diretores, professores e pedagogos na primeira formação geral e falou da alegria em começar a ação imediatamente. “Me preocupa ver tantos jovens dentro das nossas escolas em situações de conflito familiar, passando por angústias e achando que não têm apoio. A escola é um desses apoios, e agora estamos nos preparando melhor para lidar com todas as situações que prejudicam a saúde emocional dos alunos”, explica o secretário.

Tags
Mostrar Mais

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Close
Pular para a barra de ferramentas