Cidade

Prefeito Firmino é quem vai decidir sobre novo aumento nas passagens de ônibus em Teresina

Aumento nas passagens podem chegar a inteira R$ 4,22, e meia passagem, a R$ 1,40

Mais uma polêmica para o prefeito de Teresina, Firmino Filho resolver. O Conselho Municipal de Transporte Coletivo de Teresina (CMTP) aprovou a proposta de reajuste da passagem inteira de ônibus em R$ 4,22 e R$ 1,40 para estudante. Os novos valores foram aprovados nesta terça-feira (28) e foram encaminhados para avaliação do prefeito.

O reajuste é de 9,59% sobre o valor vigente: atualmente, a inteira custa R$ 3,85 e a estudantil R$ 1,28. Por contrato, os reajuste devem ocorrer no mês de janeiro de cada ano, ou seja, o prefeito deve fixar os valores até a próxima sexta-feira (31).

O superintendente da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans), Weldon Bandeira, relatou à imprensa que o prefeito poderá acatar ou não o valor proposto pelos conselheiros.  O estudo na reunião consta dados do custeio do transporte público, índices da inflação e metodologia dos cálculos da tarifa, segundo a Strans.

Passagem Inteira

De R$ 3,85  para R$ 4,22

Estudante

De R$ 1,28 para R$ 1,40.

“Não é obrigatório o prefeito fixar em R$4,22. Ele pode colocar R$ 4,00 ou R$4,10 ou não dar aumento.  O preço é baseado nas contas de contratos. Com dados de 2019, eu deveria sair de R$ 4,02 de contrato para R$ 4,22. O valor de R$4,22 é o preço máximo para que não haja subsídio do município no sistema. No ano passado, o subsídio foi de R$ 8 milhões pra manter o preço congelado”.

No momento em que há o repasse desses valores para o prefeito, ele faz uma análise dos termos financeiros para saber até quanto poderá bancar o congelamento ou aumento da tarifa, ressalta o superintendente.   Assim que fixado os novos valores, o prefeito também determinará quando eles entrarão em vigência.

O Conselho Municipal é composto por representantes da sociedade (usuários, moradores, estudantes), empresas operadoras, taxistas, mototaxistas, transporte alternativos e o poder público municipal.

Weldon Bandeira ressalta que não é de interesse das empresas e da prefeitura aumentar a tarifa porque isso afugenta os usuários. “Precisamos encontrar um ponto de equilíbrio para manter o usuário e manter o sistema”.

Veja a precariedade da falta de ônibus nas ruas

 

Carlienne Carpaso

Tags
Mostrar Mais

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Close
Pular para a barra de ferramentas