Piauí

Governo do Piauí leva golpe de R$ 4,8 milhões ao comprar 30 respiradores que nunca existiram

Polícia Federal já está no caso para chegar aos verdadeiros culpados

Os Ministérios Públicos estaduais, os Tribunais de Contas, TCU, PGR e todos os órgão de controle do país devem nos próximos dias tomar atitudes em relação ao calote que o Consorcio Nordeste aplicou em si mesmo, e no povo, celebrado como o grande momento de mudança, os governadores dos estados nordestinos, rebelados contra o Governo Federal, na figura do presidente Bolsonaro, criaram o Consorcio prometendo ser a ultima bolacha do pacote, com viés mais ideológico que gerencial, até viagens a Europa fizeram, mostrando-se como verdadeiros lideres nacionais.

Um turismo com o dinheiro público serviu mais para fazer média e prometer demais, o Consórcio Nordeste era a alternativa para manter a força contra Bolsonaro e juntos poderem pressionar Brasilia para liberar as benesses negadas. O Coronavírus caiu como uma luva para que o Consorcio pudesse mostrar iniciativa e com liberdade orçamentária para solucionar o mal do Covid-19, pois seriam a outra face da moeda no tratamento dispensado ao combate ao virus.

No final a compra de respiradores pulmonares pelo Piauí e outros oito Estados do Nordeste à empresa paulista Hempcare Pharma ganhou contornos de caso judicial após o dinheiro empregado na transação, R$ 48,7 milhões, ter sido antecipado, mas os equipamentos não terem sido entregues. A compra foi cancelada, e o Consórcio Nordeste foi à Justiça com medidas para reaver a quantia repassada.

Cada Estado do Nordeste teria direito a 30 respiradores, ao custo de R$ 4,9 milhões, para reforçar leitos para casos graves de Covid.

Ao longo dos últimos dias, a Justiça Federal, na Bahia, determinou o bloqueio das contas da empresa Hempcare Pharma e de seus dois sócios, além de outras empresas que estejam em seu nome. O processo está em segredo de Justiça e foi movido pela Bahia, Estado que preside o Consórcio Nordeste. Os bloqueios foram solicitados no valor total da transação entre os Estados e a empresa.

A Hempcare Pharma se posicionou revelando surpresa já que explicou haver acordo com os Estados do Nordeste para devolução do dinheiro até 10 de junho. Acrescentou também que quando a compra dos equipamentos à China se mostrou inviabilizada, ofereceu aos governadores do Nordeste a opção por equipamentos na indústria nacional, mas que eles negaram essa alternativa. A negativa dos governadores foi dada alegando que os equipamentos apontados pela Hempcare, na indústria nacional, dependem ainda de aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Diante da situação complicada e vergonhosa cabe agora aos órgãos de fiscalização e as Casas Legislativas apurarem, já se escuta nos bastidores, principalmente das oposições a palavra IMPEACHMENT que poderá pegar os 09 chefes de governos, que queriam mudar o mundo, mas não esqueceram as velhas práticas. O que não pode é se perder dinheiro público.

Agora, está tudo caminhando para um verdadeiro golpe, nenhum respirador foi encontrado na empresa, nem chinês e nem brasileiro.

Esse é um caso que não pode ser conduzida apenas pela polícia baiana. A Polícia Federal também precisa atuar no caso, já que se trata de um crime interestadual e, até, internacional, sem falar que recursos da Saúde estão envolvidos.

Dois dias antes da operação da Polícia Civil, o governador da Bahia, Rui Costa (PT), instaurou procedimento administrativo para tentar recuperar o dinheiro, tendo como alvo a empresária Cristiana Prestes Taddeo, sócia da empresa acusada de ter desviado R$ 48,7 milhões, a HempCare Pharma, sediada em Araraquara-SP.

Mas, até outro dia, era o próprio governo baiano que fazia questão de anunciar que tinha feito uma acordo com a HempCare, para instalação de uma fábrica de respiradores em Camaçari, na região metropolitana de Salvador.

RESPIRADORES NUNCA EXISTIRAM – A Bahia ficaria com 60 respiradores, o Piauí e os outros sete estados ficariam com 30 respiradores cada uma. Segundo informações da imprensa, cada um desses estados teriam repassado R$ 4,8 milhões para o Consórcio Nordeste. Porém, esse valor não consta no Portal da Transparência do Piauí.

Segundo o secretário de Segurança Pública da Bahia, Maurício Telles Barbosa, surgiu então o mais forte indício de fraude: a suposta ligação da HempCare com o grupo Biogeoenergy, que tem, entre suas empresas, uma suposta fabricante de respiradores.

De acordo com Barbosa, ao cumprir os mandados de busca e apreensão na sede da HempCare, em Araraquara, os policiais não encontraram nenhum respirador. Nem chinês nem brasileiro.

O secretário de Saúde do Piauí, Florentino Neto (PT), confirmou que o Governo do Piauí antecipou valor para a compra, mas disse que foi pouco mais de R$ 4 milhões”, disse ele.

Realmente foi o que acabou acontecendo. Mal começaram as ações do Consórcio Nordeste, o Piauí já leva um grande prejuízo.

PIAUÍ DOOU R$ 700 MIL – O Consórcio Nordeste se destacou nos últimos meses por endurecer as críticas dos governadores contra o governo Bolsonaro. O Piauí já empenhou mais de R$ 700 mil para as contas da entidade, que é administrada pelo governador da Bahia, Rui Costa, do PT.

Fonte: Portal Código do Poder; Blog do Bernadinho

Tags
Mostrar Mais

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Close
Pular para a barra de ferramentas