Policial

W.Dias opina por incapacidade de Allisson Wattson e manda processo para o TJPI

Tribunal de Justiça é o único que pode expulsar Allisson da PM do Piauí

O processo de exoneração do policial militar Allisson Wattson, acusado de matar e ocultar o corpo da estudante Camilla Abreu, em outubro do ano passado, foi nesta quinta-feira (03/05) encaminhado pelo governador Wellington Dias, ao Tribunal de Justiça do Piauí.

A advogada do caso, Ravena Castro afirmou em várias postagens em uma página sua no Facebook, que o capitão estava sendo protegido por pessoas muito poderosas e por isso precisa da ajuda da imprensa para que o caso voltasse a ter repercussão e fosse logo resolvido. “Acredito que pessoas grandes estão tentando aposentador o capitão, mas não vamos deixar isso acontecer”, afirmou Ravena.

Caberá ao tribunal a decisão final que dirá se o acusado vai ou não ser expulso das fileiras da Polícia Militar.

Segundo informou a coordenadoria de Comunicação, o governador constituiu o Conselho de Justificação, que elaborou os autos com o relatório opinando pela declaração da incapacidade de Allisson Wattson permanecer na Polícia Militar por considerar o militar culpado das acusações apresentadas.

“Os autos foram encaminhados à Procuradoria Geral do Estado (PGE), que retornaram com parecer opinando pela regularidade do processo e submetendo ao chefe do poder executivo a decisão de autorizar à Procuradoria que os encaminhassem ao TJ para o fim de declarar o acusado indigno do oficialato ou com ele incompatível, com a consequente perda do posto e patente”, informa a CCOM.

O procurador jurídico  Jean Paulo Modesto diz que “há muita pressão da população por uma medida rápida do estado, mas nenhum chefe de executivo pode tomar essa decisão antes do TJ, caso contrário, seria anulada”. Afinal, somente o TJ pode declarar a perda de posto e patente de oficiais.

 

Tags
Show More

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close