Cidade

Médicos apresentam demandas e fazem denúncias na Câmara contra a FMS

SIMEPI fiscalizou cinco hospitais na cidade e constatou a falta de estrutura

Médicos piauienses se unem para reivindicar salários e melhorias. Segundo o presidente do sindicato dos médicos do Piauí, dr. Samuel Rêgo, a categoria se queixa da falta de compromisso do gestor da Fundação Municipal de Saúde, Sívlio Mendes.

“Quem não vivencia o dia a dia da saúde não tem uma noção. Pensa que as coisas estão tudo bem quando na verdade não estão”, é o que afirma o presidente do Sindicato dos Médicos do Piauí (SIMEPI), dr. Samuel Rêgo.

Dr. Samuel Rêgo. Foto: Wilson Nanaia/Portal AZ
Dr. Samuel Rêgo. Foto: Wilson Nanaia/Portal AZ

Vereadores e representantes do SIMEPI se reuniram na manhã desta quinta-feira (07) na Câmara Municipal de Teresina para discutir as demandas da categoria e as denúncias recebidas nas últimas semanas.

No local foi exposto a realidade dos Hospitais Municipais de Teresina. O SIMEPI já fiscalizou cinco hospitais na cidade e informou ter constatado a falta não só de estrutura, mas de profissionais da saúde, antibióticos, materiais cirúrgicos, entre outras coisas que prejudicam a realização de exames e tratamentos como a hemodiálise.

O presidente do SIMEPI, Dr. Samuel Rêgo, ainda chamou a atenção para a falta de um hemocentro nas maternidades da capital que precisam recorrer ao Centro de Hematologia e Hemoterapia do Piauí (HEMOPI) dificultando a realização das cirurgias e prejudicando os pacientes.

“Nós estamos tentando sentar com o prefeito de Teresina para mostrar essa realidade que mostramos hoje na Câmara”, desabafa o presidente do sindicato.

Na reunião foi encaminhado um encontro entre a Prefeitura, Câmara Municipal e o Sindicato do Médicos do Piauí para analisar as denúncias e fiscalização realizadas nos hospitais e estudar melhorias e a solução desses problemas na saúde piauiense.

O presidente da Câmara Municipal de Teresina, vereador Jeová Alencar, conta que lamenta a situação da saúde piauiense e que espera uma posição dos gestores da capital.

“A saúde do município pelo que foi colocado pela categoria dos médicos está de forma crítica, de todos os modos. Os médicos aqui não estão só cobrando melhorias de salários, estão cobrando mehores condições de trabalho, regulamentação dos pacientes. Nós iremos acionar nossa Procuradoria, junto ao Ministério Público Federal da Saúde, procurar a Ordem do Advogados do Brasil (OAB-PI), parceiros para formar força conosco para que a gente possa dá uma solução ou minimizar essa solução. O correto era o presidente da Fundação Municipal de Saúde (FMS), Dr. Silvio Mendes, ouvir pelo menos a categoria e prestar satisfação.

Tags
Show More

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close