Cidade

Governo e a Pastoral firmam convênio para alimentar moradores de rua em Teresina

A Sasc vai fornecer a alimentação, mas é a pastoral quem faz o cadastramento

A governadora em exercício, Regina Sousa, assinou convênio em audiência realizada nesta sexta-feira (08), com a Pastoral para beneficiar pessoas em situação de rua. Segundo informações do Governo do Estado, a Secretaria Estadual de Assistência Social (Sasc) irá dobrar o número de refeições disponíveis em duas casas de apoio que atendem moradores de rua em Teresina.

A medida deve direcionar ainda refeições dos Restaurantes Populares do Estado para pessoas em situação de rua atendidos pela Pastoral do Povo de Rua, instância ligada à Arquidiocese de Teresina.

Governadora em exercício, Regina Sousa, PT

“Ao invés de simplesmente distribuir para alguns moradores queremos proporcionar que essas refeições sejam feitas em um lugar apropriado e digno, com acesso a água e a um ambiente limpo. Um local que também possa oferecer mecanismos de trabalho e apoio psicológico”, assinalou Regina Sousa.

Segundo a governadora, seu papel no governo é incluir essas pessoas que ainda não foram contempladas pelo apoio do Estado.

“Temos que dar as condições básicas para retirá-las dessa situação”, explicou Regina lembrando que o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) ainda não inclui os moradores de rua no censo populacional.

A gestora da Sasc, secretária Ana Paula Mendes, explicou como vai se dar a parceria com a pastoral. “A Sasc fornece a alimentação, mas é a pastoral quem distribui e faz o cadastramento dos beneficiados. Ficamos muito felizes em poder contar com essa parceria e ajudar ainda mais pessoas em situação de risco”, pontuou.

Duas casas mantidas pela Pastoral do Povo de Rua nas proximidades do centro comercial de Teresina devem passar a oferecer de 20 para 50 refeições cada. A entidade que existe há sete anos oferece, além das refeições, atividades como terapia comunitária integrada, cursos profissionalizantes, catequese e acompanhamento psicológico durante um período de aproximadamente 10 meses de atividades, prazo para restabelecer a pessoa atendida no mercado de trabalho ou no ambiente familiar.

De acordo com o padre João Paulo Carvalho, que coordena a Pastoral e está à frente da administração da Casa, o acolhimento às pessoas que estão vivendo na rua é uma tarefa do Estado e da sociedade.  “A população de rua só cresce. É importante que ampliemos o número de refeições para aumentar nossa capacidade de acolhimento. É necessário perceber que esses irmãos carentes são sinal de Deus. Eles tem a beleza de Deus e podem, com nossa ajuda e auxílio, construir novas histórias”, convida o padre.

Uma das casas de apoio está localizada na Rua Anísio de Abreu, 702, Centro (Sul) de Teresina e está aberta a trabalhos voluntários.

Tags
Show More

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close