Esporte

Flamengo sai na frente, Grêmio busca empate, e decisão do finalista fica para o Maracanã

O jogo mais esperado no ano até aqui no Brasil correspondeu a expectativa

O jogo mais esperado no ano até aqui no Brasil correspondeu a expectativa em número de gols: as redes estufaram cinco vezes na Arena do Grêmio na noite desta quarta-feira, mas o VAR anulou três, e só os de Bruno henrique e Pepê valeram. Com isso, Grêmio e Flamengo ficaram no 1 a 1 na noite desta quarta-feira, pelo jogo de ida da semifinal da Libertadores. A partida de volta será no próximo dia 23, às 21h30 (de Brasília), no Maracanã. O Rubro-Negro, que foi melhor em campo, carrega uma pequena vantagem pelo gol fora de casa, que dá o direito de jogar pelo 0 a 0 agora. Ao Tricolor, empate só interessa por 2 a 2 ou mais.

  • VAR protagonista
    Anulado! Kannemann reclama de ter sido empurrado por Gabigol e o VAR marca anulando o gol, aos 21 do 1º tempo

    Anulado! Kannemann reclama de ter sido empurrado por Gabigol e o VAR marca anulando o gol, aos 21 do 1º tempo

    Não é só no Campeonato Brasileiro que a arbitragem de vídeo vem roubando os holofotes. O VAR foi determinante nos dois jogos das semifinais da Libertadores. No clássico argentina, marcou o pênalti que o River Plate converteu e abriu o caminho para o 2 a 0 sobre o Boca Juniors. E no duelo brasileiro, o Flamengo teve três gols anulados: dois por impedimento, ambos com Gabigol, e um por falta de Gabigol em Kannemann no início da jogada.

  • Os 90 minutos
    Paulo Victor foi mal no 1º tempo, mas salvou no 2º

    Paulo Victor foi mal no 1º tempo, mas salvou no 2º (Foto: Vinícius Costa/BP Filmes)

    Mesmo jogando fora de casa, o Flamengo foi superior ao Grêmio e fez um primeiro tempo praticamente perfeito. Teve 66% de posse de bola, finalizou quatro vezes e criou três chances claras, contra nenhuma do Grêmio, que só assistiu o adversário atuar. Só não saiu em vantagem para o intervalo por uma bobeira de Gabigol, que empurrou Kannemann no gol de Everton Ribeiro aos 21, e por um impedimento milimétrico dois minutos depois. O Tricolor agradeceu o apito final, se acertou no vestiário e voltou melhor para a etapa final. Passou a criar, Luan começou a aparecer, e Everton Cebolinha e Matheus Henrique colocaram Diego Alves para trabalhar. E justamente em seu melhor momento sofreu o gol: Bruno Henrique recebeu cruzamento de Arrascaeta, ganhou de Galhardo e usou a cabeça para abrir o placar aos 23 minutos. O próprio Bruno teve chance de fazer o segundo, mas parou em Paulo Victor, e Gabigol marcou outra vez anulado pelo VAR. Quando a vitória rubro-negra parecia certa, Cebolinha achou Pepê na área, e ele empatou a nove minutos do fim.

    Agenda

 

Tags
Show More

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close