Manchete

Evaldo Gomes ameaça romper com Firmino Filho se não indicar o candidato a vice

Presidente do Solidariedade não descarta ir para oposição se não indicar o candidato

O Solidariedade é governo. Aliado do governador Wellington Dias, do PT, que é oposição à Prefeitura de Teresina. E compõe a base do prefeito Firmino Filho, que é adversário do governo petista. O partido faz o que na política se convencionou dizer: acende uma vela para Deus e outra para o capeta. E foi para a mídia dizer que não vai mais ser coadjuvante no processo eleitoral.

Nas eleições municipais de 4 de outubro próximo, por exemplo, mesmo depois de perder duas de suas maiores lideranças – o ex-deputado Dr. Pessoa, hoje no MDB, e o Major Paulo Roberto, que deve se filiar ao PSDB agora em janeiro, o Solidariedade – que é presidido nacionalmente pelo ex-sindicalista Paulinho da Força, e que tem como presidente no Piauí o deputado estadual Evaldo Gomes – tentar impor ao tucano Firmino Filho a candidatura a vice-prefeito. Do contrário, ameaça Evaldo Gomes, desembarca de mala e cuia na oposição.

“A deputada Marina disse ontem aqui que estamos com o prefeito Firmino Filho e queremos continuar, mas a política é dinâmica. Temos as convenções e não queremos ser coadjuvantes. Somos um partido pujante. Queremos discutir de igual para igual com as forças políticas da base de sustentação do prefeito Firmino Filho. Temos por ele um bom gestor, mas ele necessita de aliados para continuar mantendo a hegemonia na capital”, advertiu Evaldo Gomes, na tarde desta sexta-feira (3), na TV Cidade Verde.

“A gente não faz política botando a faca no pescoço. Não devemos fazer política assim, o povo não aceita. As coisas mudaram. Nós queremos dialogar como estamos fazendo, não só com o senador Ciro Nogueira, como o próprio prefeito Firmino Filho. O que nós estamos mostrando aos dois é que temos um partido bem organizado com condições de ter um vice. Agora, é natural que um partido como o Solidariedade seja cortejado por outros candidatos a prefeito”.

“Nós estamos tratando de eleição na capital. Hoje o Progressistas tem muita musculatura no interior do estado. Aqui na capital, apesar de ter uma bancada de vereadores, acredito eu que o Solidariedade leva vantagem no que diz respeito ao Progressistas, primeiro pela nossa militância. Somos um partido popular. A formação da nossa chapa nos cacifa para gente indicar o vice. Acredito que em Teresina, com todo respeito que tenho ao senador Ciro Nogueira, que o Solidariedade possui nomes muito mais prontos do que o próprio Progressistas”, avaliou o deputado, sem um pingo de modéstia.
Fonte: Cidade Verde

Tags
Show More

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close