PiauíPolicial

Comandante de Picos é exonerado após dizer que bandido tem mesmo que “descer nas cordas”

Segundo bastidores o coronel estava pleiteando disputar eleição em 2020

Não sabemos se falar a verdade é mais importante do que ficar observando e guardar os nossos comentários para nós mesmos. Veja o que aconteceu com o comandante do 4º Batalhão da Polícia Militar em Picos, Tenente-coronel Edwaldo Viana, ele foi exonerado da função.
Em uma entrevista a um veículo de comunicação, o tenente coronel Edwaldo Viana fez duras críticas onde ele afirmava que “bandido tem que descer pelas cordas”, e o vídeo viralizou. Na mensagem, o então comandante se referia aos suspeitos de assassinar o empresário Edilson Oliveira, de 59 anos, na cidade de Picos.
A novidade foi que a exoneração foi feito pelo próprio oficial em um longo desabafo compartilhado no grupo de Relações Públicas do comando nesta terça-feira (7).
No áudio de 7 minutos de duração, o coronel disse que foi exonerado porque “falou a verdade” e afirma, ainda, que forças políticas tiveram influência direta na sua exoneração.  Edwaldo diz que a decisão foi uma tentativa de silenciá-lo, mas defende que o “tiro saiu pela culatra” e agora está livre para falar o que quiser.
No áudio divulgado hoje, o coronel fala que está “muito chateado” com  a exoneração, mas demonstra não se arrepender do que falou sobre criminosos. O coronel destaca que  prefere a morte a se  curvar “para bandidagem”.
“Sei que o  comandante geral está me tirando com o coração ferido. Ele sabe da tradição que é Picos. Sabe se for um comandante frouxo a turma passa por cima e toma de conta. A situação geográfica deixa Picos totalmente aberta para bandidagem. É por isso que eu nunca me curvei para bandidagem. Nunca vou me curvar. Eu prefiro a morte a me curvar para bandidagem”, desabafa o  coronel.
Viana afirma que foi convidado para assumir um “grande comando na capital”,mas recusou o convite. Há rumores de que ele estaria pensando em disputar um cargo político nas próximas eleições.
“Não vou aceitar comando  em lugar nenhum porque fizeram isso para me silenciar, mas o tiro saiu pela culatra porque agora que vou falar, agora estou livre para falar o que quiser”, disse o coronel que pretende tirar licença seguida de férias.
A passagem de comando ocorrerá na próxima sexta-feira (10), às 9h no 4º BPM.
“Não esperava isso, entrego de cabeça erguida . Com a certeza que fiz o possível. Não fiz o ideal, mas fiz o possível”, afirma.
OUÇA O ÁUDIO NA ÍNTEGRA
Tags
Show More

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close