Piauí

Motoristas de ônibus voltam a trabalhar na segunda feira dia 06 de julho

Sintetro aceitou o funcionamento de pelo menos 70% da frota nos horários de pico e 30% nos demais horários.

O Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transporte Rodoviário do Piauí (Sintetro) decidiu recusar a proposta apresentada durante uma audiência na segunda-feira (29), com empresários e o Ministério Público do Trabalho (MPT), para o fim da greve dos motoristas e cobradores de ônibus em Teresina. Entretanto, o sindicato aceitou a proposta alternativa de retorno parcial.
Segundo o presidente do Sintetro, Ajuri Dias, o acordo seria a perda do plano de saúde e do ticket de alimentação, direitos que a categoria não está disposta a perder.
“Nós sabemos o momento que vivemos hoje de dificuldade em relação a questão dos atendimentos. Estamos com os planos suspensos em alguns procedimentos, mas nós abrimos mão do plano de saúde e do ticket de alimentação. Nós compreendemos que é um momento difícil, que as categorias elas possam estar tendo um entendimento para sair desse momento ruim de crise, mas não temos condição de abrir mão dos nossos benefícios”, afirmou.
O procurador regional do trabalho do MPT-PI, João Batista Machado Júnior, informou que com a aceitação da proposta alternativa pelo Sintetro, a frota de ônibus na capital será de 70% nos horários de pico.
“Ele não concordou com o fim da greve, mas aceitou a proposta alternativa de retorno parcial às atividades. Com isso, nós teremos o funcionamento de pelo menos 70% da frota nos horários de pico e 30% nos demais horários. Esses horários de picos serão distribuídos pela Strans em ordem de serviço, normalmente, três horas pela manhã e três horas no final do dia, quando as pessoas retornam ao serviço. Aos domingos, nós teremos o funcionamento de apenas 30% da frota”, explicou.

O procurador Regional do Trabalho no Piauí, João Batista Machado Júnior, alertou, após a reunião, que caso não haja negociação, um dissídio coletivo de greve (ações ajuizadas no Tribunal para solucionar conflitos) poderá acontecer.
Motoristas e cobradores de ônibus deflagraram greve no mês de maio deste ano. Desde então, apenas veículos alternativos têm feito transporte coletivo de passageiros pela capital.

Tags
Show More

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close