GeralPiauí

Enem 2021 segundo dia de movimentação de estudantes é baixa

Segundo dia de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem)

Candidatos que farão o segundo dia de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) aos poucos chegam aos locais de aplicação. O Cidadeverde.com acompanha na manhã deste domingo (24) a movimentação no Instituto Federal do Piauí (Ifpi), no Centro de Teresina. Poucos estudantes aguardavam a abertura dos portões.

Com máscaras e álcool em gel, os candidatos acreditam que hoje  a taxa de inscritos ausentes seja alta assim com foi no domingo passado. A estudante Marta Regina Ferreira, 18 anos, acredita que o medo de contrair o coronavírus fez com que os estudantes faltassem ao primeiro dia de provas.

“Acredito que os candidatos estão receosos também de como serão as aulas nas universidades públicas”, disse.

A paulista Stephanie Lissa, 26 anos, veio de São Paulo para fazer o Enem em Teresina. Ela conta que o primeiro dia de provas foi difícil, com temas que ela não esperava serem abordados nas questões.

“Pensei que ia cair mais História  do Brasil. Foi inesperado. Espero que hoje faça uma prova melhor”, disse ela, que neste ano tenta uma vaga para o curso de Odontologia.

Natural da cidade de Porto, Antônio Cardoso, 18 anos, faz o Enem em Teresina neste domingo e espera ser aprovado para o curso de Direito.

“O primeiro dia foi bom e espero que hoje seja melhor ainda”, espera o candidato que afirma não se incomodar com o uso da máscara.

O Piauí teve mais de 130 mil inscritos no Enem. Hoje os candidatos respondem às questões de Matemática e Ciências da Natureza. Os portões abrem 11h30.

Os candidatos responderão a 90 questões de múltipla escolha (45 de Matemática e suas Tecnologias e 45 de Ciências da Natureza e suas Tecnologias).

Mesmo com os portões já abertos, a movimentação no ponto de aplicação da Universidade Estadual do Piauí, no bairro Pirajá, ainda é timida.

A comerciante Janaína Silva fez questão de acompanhar a filha até a entrada do ponto de aplicação. Ela conta que, apesar da pandemia, confia que os cuidados para evitar o contágio do coronavírus estão sendo adotados.

“No primeiro dia eu fui conferir a sala e vi que não tinha lotação. Só me resta confiar, minha filha se preparou muito. Eu vim deixar ela aqui para dar confiança”, diz Janaína. A filha dela, Glenda Silva, 19 anos, sonha em fazer medicina.

Na frente da Uespi uma equipe do programa Busca Ativa, da Secretaria de Estado da Saúde, entrega máscara e álcool em gel para candidatos. O objetivo é prevenir o contágio do coronavírus.

As amigas Ana Maria Barbosa e Maria Vitória Freire, ambas de 18 anos, farão prova na mesma sala. As duas tentarão uma vaga para o curso de Medicina.

“Nós viemos juntas, ela[Maria Vitória] é minha amiga irmã. Estudamos juntas, nos preparamos juntas e viemos juntas para dar confiança uma a outra”, conta Ana Maria.

As duas estão precavidas e para evitar problemas na prova trouxeram quatro canetas cada uma além de três máscaras e álcool em gel.

Elas acreditam que a alta abstenção no primeiro dia da prova não quer dizer que o Enem seja menos concorrido.

“É complicado falar nisso porque há a nota de corte”, acrescentou Ana Maria.

Tags
Show More

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close