Geral

Wellington cobrará do Ministério da Saúde cronograma de entrega das vacinas

5,4 mil litros de insumos para a produção da vacina Coronavac já estão no Aereporto de Pequim para embarcar para o Brasi

Neste domingo (31/01), o governador Wellington Dias comemorou a chegada, no Aeroporto de Pequim, na China, de 5,4 mil litros de insumos para a produção da vacina Coronavac pelo Instituto Butantan no Brasil. A estimativa é que a carga chegue ao estado de São Paulo -SP na próxima quarta-feira (03/02).

“A entrega dos Ingredientes Farmacêuticos Ativos (IFAs) permitirão que o Butantan produza mais 8,6 milhões de doses de vacina Coronavac em parceria com a Sinovac. Comemoramos a informação do governador de São Paulo, João Dória. Quanto mais cedo os insumos chegarem ao Brasil, maior é a possibilidade de ampliarmos a vacinação nos estados e municípios”, comentou o chefe do executivo estadual piauiense.

Coordenador do tema da vacina no Fórum Nacional de Governadores e presidente do Consórcio Nordeste, Wellington  solicitou uma agenda com o Ministério da Saúde para tratar a respeito do cronograma de entrega dos imunizante. “Solicitamos agenda com o Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, com o Fórum do Governadores e pedimos a participação da direção do Instituto Butantan e da Fiocruz para tratar do cronograma de entrega de vacinas, em fevereiro, março, abril e maio e junho /2021, para permitir o planejamento da vacinação pelos estados e municípios”, comentou.

Os planos do governador do Piauí é criar um cronograma de entrega, mês a mês, de IFA da Astrazeneca para Fiocruz até completar os 100 milhões de ingredientes farmacêuticos e entrega, também mês a mês, de vacina pela Fiocruz para o Ministério da Saúde, além do cronograma de entrega de 100 milhões de doses do Ministério da Saúde em todo o território nacional.

A respeito do contrato com a Fundação Russa o governador comentou: “Com a União Química, pelo contrato com a vacina Sputinik V, pode-se chegar a mais 20 milhões de IFAs e doses por mês no Brasil. O que é estratégico, pois o país, além de ganhar autonomia para produzir a vacina mais rapidamente, tanto para a primeira quanto para a segunda dose, reduz o adoecimento de pessoas, internações e óbitos. O Brasil poderá inclusive suprir a necessidade de outros países e se programar com segurança para sair da crise social e econômica”, destacou.

Na próxima sexta feira (05/02), às 10h, o governador Wellington Dias terá uma reunião virtual com o embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, para tratar sobre o processo de entrega de IFAs ao Butatan e à Fiocruz para a produção de 100 milhões de doses no Brasil por cada laboratório. “Quanto mais cedo recebemos e usamos estes 200 milhões de IFAs, mais rapidamente a Fiocruz estará, pelos contratos, liberada para a produção do princípio ativo ou IFA no Brasil podendo ampliar a capacidade de produção de 30 milhões ou até 60 milhões de doses por mês”.

Entre os grupos prioritários estão os profissionais da saúde que atuam na linha de frente contra o novo coronavírus, idosos, pessoas com comorbidades, indígenas, quilombolas. O próximo passo, ainda a ser definido, será a imunização dos profissionais da Educação e setores estratégicos na economia, como indústrias, construção civil, turismo, eventos e outros.

Tags
Show More

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close