Política

Prévias geram ‘racha’, e vencedor terá de ‘lamber feridas’ e unir partido, diz presidente do PSDB

Arthur Virgílio, Eduardo Leite e João Doria disputam quem concorrerá ao Planalto em 2022. Partido adiou fim da votação das 15h para as 18h após instabilidade no aplicativo de votação.

O presidente do PSDB, Bruno Araújo, afirmou neste domingo (21) que as prévias do partido devem gerar um “racha” na legenda, mas que será preciso “lamber as feridas internas” e unir os tucanos.

A votação acontece neste domingo em Brasília. Disputam as prévias tucanas para as eleições presidenciais de 2022 o ex-prefeito de Manaus Arthur Virgílio; o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite; e o governador de São Paulo, João Doria. Segundo o PSDB, o horário de votação, que acabaria às 15h, foi adiado para as 18h em razão de instabilidade no aplicativo utilizado pelos filiados (leia detalhes mais abaixo).

Ao chegar ao local onde acontece a votação, Bruno Araújo foi questionado se as prévias podem provocar um “racha” no partido. O presidente do PSDB, então, respondeu:

“Devem e têm de provocar um racha. Eleição não é confraria. Eleição é disputa. agora temos até agosto, que são as convenções do ano que vem, para construirmos entendimento. […] Cabe ao escolhido de hoje demonstrar maturidade, liderança no sentido de ter capacidade de construir, lamber as feridas internas e unir o partido.”

A disputa se dá em meio a divergências internas. Segundo os organizadores, as prévias foram o único caminho encontrado para viabilizar a “unidade” partidária.

PSDB define o candidato às eleições presidenciais neste domingo (21)

Instabilidade em aplicativo

Segundo Araújo, mais de 90% dos tucanos com mandato eletivo se cadastraram para votar. “A gente espera que outros partidos, aliados ou que disputam decisões politicas conosco, ingressem e tenham uma posição de democratizar essa decisão”, concluiu.

Ao todo, quase 45 mil filiados, entre militantes e detentores de mandato, devem votar em um dos três candidatos.

Em nota divulgada neste domingo, o presidente estadual de São Paulo do PSDB, Marco Vinholi, divulgou uma nota na qual afirmou que o aplicativo de votações apresentou instabilidade e que o diretório tucano do estado “requereu providências” a fim de que não haja “prejuízo enorme para o filiado exercer o seu direito ao voto”.

Instabilidade em aplicativo de votação das prévias do PSDB — Foto: Reprodução

Instabilidade em aplicativo de votação das prévias do PSDB — Foto: Reprodução

Segundo o PSDB, o horário de votação, que acabaria às 15h, foi adiado para as 18h em razão de instabilidade no aplicativo utilizado pelos filiados.

PSDB define quem será o candidato do partido a presidente da República, nas eleições de 2022

Prévias

Esta será a primeira vez que o partido recorre às prévias para escolher o candidato ao Palácio do Planalto.

Questionado se os candidatos perdedores podem abandonar o PSDB após a disputa, e acabar procurando outra legenda para concorrer à Presidência, Araújo afirmou que até abril pode haver alguma eventual perda.

“Mas as adições são muito maiores ao projeto, o objetivo que o PSDB está consolidando. Sobretudo pela expectativa de fazer uma campanha com força política”, disse.

União após as prévias

Em declarações neste domingo, os candidatos também falaram em união do partido após as prévias. Saiba o que disseram (por ordem alfabética):

Ex-prefeito de Manaus Arthur Virgílio durante as prévias do PSDB em Brasília — Foto: Reprodução/TV Globo

Ex-prefeito de Manaus Arthur Virgílio durante as prévias do PSDB em Brasília — Foto: Reprodução/TV Globo

Arthur Virgílio

Para o ex-prefeito de Manaus, é preciso haver “paz”, “tranquilidade” e “honradez” após a disputa.

“Você dividir uma coisa pequena não é inteligente. Eu sempre digo que a inteligência, ela tem limite. Mesmo a do Einstein. Mas a burrice, ela é ilimitada. A burrice, a arrogância, ela é ilimitada. Então, eu entendo que o partido, para conseguir alguma coisa nesta eleição, ele tem que unir suas forças, tem que haver humildade de todos”, declarou.

Governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, tira foto com apoiador durante prévias do PSDB em Brasília — Foto: Alexandro Martello/g1

Governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, tira foto com apoiador durante prévias do PSDB em Brasília — Foto: Alexandro Martello/g1

Eduardo Leite

Eduardo Leite afirmou que, após as prévias, o PSDB estará “unido” no objetivo de “tirar o país dessa polarização”.

“A política, naturalmente, no momento da eleição, ela divide, pois a gente acentua a diferença entre as candidaturas. Mas, passado o processo e tendo o resultado, tenho absoluta certeza que o partido estará unido com um único proposito, que é tirar o país dessa polarização, que gera tantos prejuízos para a população. Vamos unir o PSDB e depois vamos unir o Brasil”, declarou.

Governador de São Paulo, João Doria, posa para foto com apoiadores durante prévias do PSDB em Brasília — Foto: Alexandro Martello/g1

Governador de São Paulo, João Doria, posa para foto com apoiadores durante prévias do PSDB em Brasília — Foto: Alexandro Martello/g1

João Doria

João Doria, por sua vez, afirmou que o PSDB sairá “mais unido e mais forte do que nunca” das prévias.

“Está respeitando o voto, respeitando a liberdade, respeitando o direito de todos os seus filiados votarem e escolherem o seu candidato à Presidência da República. Viva o PSDB, viva a democracia, viva o Brasil. O PSDB sairá mais unido e mais forte do que nunca. O PSDB está unido, e continuará unido e fortalecido”, acrescentou.

G1

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo